sexta-feira, junho 10, 2016

Andam passos perdidos pela aldeia!
Perdidos ao sabor das palavras amordaçadas
de mil acordares distantes.
Andam passos despasados de tanto desencontro!

Lá onde as vielas se fizeram silencio e pranto!
Procura o vagabundo o aconchego
onde outrora a traição se fez coisa!

Clama em mudo grito o seu nome!
Escuta em solitaria presença do vazio...

Onde está?
Algures entre o todo e coisa alguma





Sem comentários: