terça-feira, março 03, 2009

Livremente preso a ti


Nada me prende ao mundo!
Nada!
Simplesmente esta minha vontade de liberdade!
Livremente me amarro ao corpo suave que desvendo.
Ao sorriso simples que tem um dia de Verão!
Simplesmente liberto vou amarrado ao querer do seu corpo.
Nada me prende ao desconhecido!
Nem ás vozes das sereias que clamam em noites de lua nova!
Simplesmente sigo navegando no mar imenso dos seus cabelos
Na alegria profunda dos seus olhos.
Neste barco com rumo traçado a norte.
Na direcção da ilha encantada onde na praia,
Me espera seu abraço de vida e morte!
Livremente! Eternamente! Conhecidamente!

6 comentários:

Amiguel disse...

Gostei.
Adorei.
É a força poeta,
Cai nessa.
Que é tua.
Não a deixes só,
Na rua.
Porque é a tua.
Bela,
Singela,
Não tem dimensão.
Saiu-te do coração.
Porque esperas nesta hora,
Se a liberdade te demora.
Se é ela a razão da humana existencia,
Então dá a razao à tua paciência.

Alberto Campos disse...

Obrigado de coração!
Que Deus olhe por ti!

Anónimo disse...

Lindo! Adorei, Adoro, visitar o teu blog, as tuas palavras, os teus textos, transcrições, os mesmos gostos, autores, filmes,...tens profundos e bons sentimentos, por isso "gosto de ti à hora das gaivotas, Eu gosto de ti..." Estás na direcção certa, não percas o norte, o meu abraço espera livremente por ti, tão livre e tão preso ao desconhecido.*

Alberto Campos disse...

Na espera se desespera. Livre sou preso aquela a quem me entrego, porque lhe conheço o olhar, o sabor doce do seu corpo, o verde unico dos seus olhos.
Estrela polar para onde navego, não o desconhecido que me comenta...
Amo o que se conheço, temo o desconhecido...

Ana disse...

É no sentimento profundo que brilha nos teus olhos que me encontro e me perco...
Nos teus beijos com sabor a mar que me prendo e me solto...
Os corpos unem-se, as almas soltam-se e reencontram-se...

Bluebird disse...

Livremente preso ....
Uma bela antitese :)
Adorei e espero em breve conhecer os olhos verdes que tanto te inspiram.
Bjs