quarta-feira, fevereiro 20, 2008

Inveja doce sentir

Hoje vi na rua os escondidos das luzes
Tive inveja!
Tive inveja daquele velho que nada tinha
E que, com olhos plácidos agradecia o pouco que lhe dava.
Eu que nada tenho e o tudo exijo noutros olhos de luz

Invejei aquele casal que sofres farrapos dormia
Aquecendo seu amor o frio que a noite trazia
E eu todas as noites tento enganar
O frio que me cobre a ausencia do teu corpo.

Olhei de lado os amantes que cumplices se reviam num ventre inchado
Eu que queria descançar o pranto em teu seio alvo.

Doce inveja que me queima a razão.

1 comentário:

Siala ap Maeve disse...

Por vezes aqueles que parecem nada ter, têm mais do que aqueles que pensam ter tudo...a riqueza de um Homem não se mede pelo volume da carteira, mas pelo brilho dos olhos :)
Beijos meus